segunda-feira, agosto 21, 2006

Convém não esquecer

Há meses surgiram rumores sobre a possibilidade de Park Chan-wook apresentar o seu novo filme, “I'm a Cyborg, but That's Ok”, no próximo Festival de Veneza (fora de competição). Todavia, o filme ainda se encontra em produção, sem data de lançamento prevista. A acção decorre num hospital psiquiátrico, onde uma rapariga que julga ser um cyborg de combate se apaixona por um homem que acredita conseguir roubar a alma das pessoas. Park, que será membro do júri no 63º Festival Internacional de Veneza, estudou filosofia apoiado num forte interesse pela teoria e crítica, acabando por publicar um considerável número de artigos sobre o Cinema contemporâneo. Convém manter um elevado grau de atenção sobre todos os passos do cineasta coreano, autor de um dos melhores ensaios temáticos dos últimos anos, imortalizado na Trilogia da Vingança composta pelos filmes “Sympathy for Mr. Vengeance”, “OldBoy” e “Sympathy for Lady Vengeance”.

7 Comments:

Blogger A Terapeuta said...

Francisco, espera-se um grande filme não é ? Mas que criatividade/genialidade incrivel! Tendo em conta os filmes que apontaste e não esquecendo o seu segmento no Three Extremes, penso que não irá desiludir.

Veremos o que sairá da cabecinha do Sr. que pensa na mais cruel tortura antes de adormecer.

Beijoca :)

10:37 da manhã  
Blogger Francisco Mendes said...

E depois deste "I'm a Cyborg...", Park irá divertir-se na realização do filme que tanto deseja sobre vampiros ("Evil Live").

A magistralidade barroca de Park é por demais evidente, mas convém não etiquetá-lo superficialmente no género tortura. Seus filmes despertam rios emotivos (desde riso a choro) e o filme "Joint Security Area" (por exemplo) é um retrato psicológico sublime da divisão entre o Norte e o Sul da Coreia.

A par de Aronofsky é o meu cineasta contemporâneo de eleição.

Beijo.

10:56 da manhã  
Blogger Hugo Alves said...

Este rapaz vai longe. Aliás, o cinema asiático, na actualidade é dos mais interessantes. Desde o blood & gore demencial de Kitano, passando pela bela decadência de Kar Wai, há que por os olhos naquelas paragens tão longínquas :-)

12:05 da tarde  
Blogger not_alone said...

Mais um daqueles "must-see"

12:32 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Hugo Alves: Sem olvidar o sublime Tsai Ming-liang.

Not Alone: Inquestionavelmente.

1:09 da tarde  
Blogger André Carita said...

Oldboy é de facto uma das melhores obras que vi recentemente. E a premissa deste novo "I'm a cyborg..." faz ansiar, sem sombra de dúvida, por um filme que eleva as expectativas ao mais alto nível!
Ainda só tive a oportunidade de ver Oldboy, mas tenho, obrigatoriamente, que ver os outros dois da sua trilogia.

Um abraço Francisco!

2:26 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Até ao momento, "Sympathy for Lady Vengeance" foi o melhor filme que vi no presente ano em Portugal, em pleno FANTAS. Sublime conclusão para um soberbo ensaio cinematográfico.

Abraço!

4:50 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Site Meter