segunda-feira, outubro 08, 2007

O poder simbólico de um início


Vertigo”, de Alfred Hitchcock



Munich”, de Steven Spielberg

8 Comments:

Blogger RPM said...

olá amigo Francisco!

mais um par para comparação.... 'o antes e o depois' numa versão spilberguiana...

desejo-te uma feliz semana

abraço amigo

RPM

10:15 da manhã  
Blogger meldevespas said...

Que dois belos exemplos, e que duas imagens maravilhosas....só gostava de saber, como te lembras tu destas pequenas coisas tão grandes?
São dois filmes que amo, o primeiro, é um filme único, como todos os do Hitchcook, densos, fortes, percursores tantos outros, e este com um dos meus actores preferidos, o James Stweart.
O 2º, outro filme absolutamente marcante, duro e frio como aço, e ao mesmo tempo pleno de sentimentos.

10:48 da manhã  
Blogger Francisco Mendes said...

Rui: Votos de uma bela semana, também para ti.

Abraço amigo!

Mel de Vespas: São dois fotogramas que marcam presença logo nos momentos iniciais de cada filme. Uma portentosa homenagem de Spielberg ao mestre Hitchcock, numa passagem tão singela quanto plena de significado temático, que poderá passar despercebida a muitos.

11:48 da manhã  
Blogger wasted blues said...

Mais um "mode: edit" (se me permites a comparação) brilhante! ;)

2:59 da tarde  
Blogger Cataclismo Cerebral said...

Duas imagens poderosas, sem dúvida. Boa escolha!

Abraço

7:14 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Wasted: Com certeza que permito :)

Cataclismo: Abraço!

8:42 da manhã  
Blogger Betty Coltrane said...

Excelente escolha, mesmo.... como sempre!! :D

abraço!

12:49 da manhã  
Blogger Francisco Mendes said...

Obrigado Hitchcock e Spielberg! ;)

8:23 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

Site Meter