terça-feira, fevereiro 27, 2007

Den Brysomme mannen

Jens Lien, cineasta norueguês que merece ser divulgado e acompanhado (como o FANTAS fez ontem), apresenta-nos Andreas, um homem sem memória. Atracando numa cidade desconhecida, vê-se prontamente brindado com um emprego, uma casa e até uma esposa. Todavia, um novo e mais sofisticado Big Brother espia algures. “Den Brysomme mannen” é uma criação artística que demonstra a batalha entre um espírito sensível e uma sociedade assente em arquétipos de uma realidade fleumática. Lien não tenta revolver o absurdo do organismo social, mas investe na costura das linhas trágicas de um mundo austeramente perfeito. Nesta ilusão de lógica flutuam brisas de felicidade, mas odores de putrefacção surgem na constatação da ausência de laços emocionais. Andreas é o único que chora no visionamento de filmes, o único que suspira pelo som de uma criança. Até a comida carece de paladar, o álcool de potência e o sexo de Amor. Mais do que uma arrojada crítica aos mecanismos superficiais de uma sociedade escandinava, esta é uma parábola à sociedade moderna de consumo, imersa na obsessão das aparências e dos luxos materiais. “Den Brysomme mannen” é uma obra que merece reconhecimento, magnífica na manifestação inquietante da sociedade contemporânea como barreira emocional, alicerçada numa base de insanidade funcional.

2 Comments:

Blogger wasted blues said...

Também o descobri no Fantas! Merece ser descoberto :)

3:07 da manhã  
Blogger Francisco Mendes said...

Oh se merece... não apenas o filme, como Jens Lien. Mas coloco sérias dúvidas sobre a sua divulgação.

9:19 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

Site Meter