sábado, junho 16, 2007

Los Olvidados



Sempre que recordo e revejo este filme de Luís Buñuel, minha alma estremece. Na minha humilde opinião, trata-se do melhor filme protagonizado por crianças, contudo, o cineasta não lamenta o sofrimento dos seus anti-heróis. Não existe uma posição de sensibilidade e sentimentalismo nobre, cultivada por filmes de mensagens liberais. A obra emana uma agressividade feroz que se impregna eternamente na memória. Por momentos pode transparecer ternura, mas sua beleza é fria e cortante como a lâmina andaluz que Buñuel utiliza noutra metragem para nos arrepiar. Apesar de ter mais de meio século, o filme mantém a sua relevância, abalando a consciência social no retrato de esgotos urbanos que brotam dramas fétidos. Este lancinante estudo da delinquência juvenil mexicana funciona como revelação intemporal e universal, com bravura suficiente para nos apontar cumplicidade e responsabilidades. É uma observação neo-realista de imagética inquietante, que nos suga pela sua beleza lânguida, amotinando percepções que o Homem deseja olvidar nos covis obscuros da sua metrópoles. As características pinceladas surrealistas de Buñuel surgem para alargar o conceito temático na hipnótica sequência do sonho que expõe as inseguranças do pequeno Pedro, abandonado pela sua própria mãe. “Los Olvidados” é uma Obra-Prima contundente que enleia doenças individuais e sociais num laço complicado de desatar. A certa altura, o pequeno Pedro olha para a câmara (para nós) e, enfurecido, arremessa um ovo contra a mesma (contra nós). Existirão poucos momentos de tamanha causticidade na História do Cinema. Repito: decorrido mais de meio século, este filme ainda sobressalta veementemente o cidadão escrupuloso. O pequeno Pedro tentava dizer-nos que Olhar não basta. Um Olhar nada resolve. Para espectadores passivos o pequeno Pedro deseja a cegueira. Sujeitos esses, que ignoraram a sua existência. Sujeitos esses, que ignoram a profundidade do abismo no qual a Humanidade poderá ver tombar seu Futuro (suas crianças). E que dizer da cena final que me escuso a revelar neste texto?
Aquele final paralisa-me…

4 Comments:

Blogger curse of millhaven said...

uau...é realmente assim que se vê o quão cinematograficamente inculta eu sou...lol mas tenho a certeza que era um filme que eu ia adorar ver.

11:01 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

:)

Acredita... pelo menos, não ficarias indiferente a esta magnífica obra de Buñuel.

8:57 da manhã  
Anonymous Maria del Sol said...

Infelizmente de Buñuel ainda só vi "Un chien andalou" e "Simón del Desierto", ambos excelentes. Já tinha na minha lista dos que quero ver "Cet obscur objet du désir" e depois de ter lido este post tenho também "Los olvidados". Obrigada pela sugestão :)

10:11 da manhã  
Blogger Francisco Mendes said...

Nenhuma obra de Buñuel deverá ser olvidada ;)

11:15 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

Site Meter