sexta-feira, junho 22, 2007

Degustando "Sideways"



Por cada revisionamento de “Sideways” destilo um amor gradualmente inebriante. E não se trata apenas da minha faceta de enófilo a pender a balança das predilecções. “Sideways” comporta-se como um bom vinho no estágio em garrafa, evoluindo, refinando e desabrochando todo um bouquet de aromas aprazíveis. Não será esta metáfora, divinamente ajustada à Vida? Se aguardarmos demasiado tempo para abrir a garrafa, o referido bouquet poderá perecer, tornando o sabor desagradavelmente avinagrado.

9 Comments:

Anonymous Paulo said...

e que dizer das excelentes participações de giamatti? rever american splendor e planet of the apes, para mencionar apenas dois excelentes desempenhos. este senhor pode ter começado a ser popular somente recentemente, mas ainda vai dar muitas cartas!

10:26 da manhã  
Blogger Lua Obscura said...

"Sideways" é mesmo para degustar, como se degusta um bom vinho. Até a música se degusta com imenso prazer. E a metáfora que referes é sem dúvida aplicável à vida.
Bons vinhos, boa música e bons filmes!
Cumprimentos cinéfilos

2:38 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Paulo: Paul Giamatti é um actor imenso!!

Lua Obscura: E que dizer também do maravilhoso argumento? Payne escreve como poucos.

Reitero os votos, acrescentando mais um: bons livros.

Cumprimentos cinéfilos.

3:19 da tarde  
Blogger Cataclismo Cerebral said...

Sim, a questão da maturidade do vinho serve de metáfora para a própria maturidade da vida. Gosto muito do filme, se bem que o considere um pouco sobrevalorizado. No entanto, a minha admiração tem vindo a aumentar consoante os visionamentos. Acho que é um filme modesto (e que tem consciência disso), que tirou da escuridão a excelente Virginia Madsen e mostrou ao Mundo o quão óptimo actor é Paul Giamatti. Para mim, o Thomas Haden Church foi uma revelação...

Abraço

4:36 da tarde  
Blogger Luís Alves said...

sideways se fosse um vinho era um porto, de tão doce e amargo ao mesmo tempo, que só nos resta beber sempre mais um copo desta maraviha de alexander payne. o melhor do seu ano? sem dúvida!

5:48 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Cataclismo Cerebral: O filme que mostrou ao mundo o quão bom actor é Giamatti foi, na minha opinião, "American Splendor". Quanto ao "Sideways"... vais ver como envelhece divinamente!

Luís Alves: Um Porto Vintage não seria uma má escolha, uma vez que a Touriga Nacional (casta amplamente utilizada na sua produção) é propícia a bons envelhecimentos. Mas pessoalmente, considero que a casta que melhor define "Sideways" é a Pinot Noir, também bastante propícia ao envelhecimento em garrafa. É uma uva que exige um carinho e atenção constantes, permitindo a produção de vinhos elegantes, de grau elevado e acidez moderada. O paladar além de suave e aveludado é dos mais brilhantes, complexos e memoráveis que existe.

O ano de 2004 também proporcionou uma sublime colheita de Gondry, mas partilho a tua opinião.

7:03 da tarde  
Blogger curse of millhaven said...

oh bolas, queria tanto ver este filme! =/ tenho d ver se apanho um dvd algures, acho que é daqueles filmes pelos quais me apaixono à primeira. os mais simples são, pra mim, os melhores :)

8:58 da tarde  
Anonymous jose quintela soares said...

Um autêntico..."vintage".

11:15 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Curse of Millhaven: Na simplicidade reside a graciosidade :)

José Quintela Soares: Sem dúvida!

8:35 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

Site Meter