quarta-feira, abril 05, 2006

Kong sobe para as prateleiras de DVD



Na sua primeira semana em prateleiras americanas, o DVD de “King Kong” vendeu 6,5 milhões de unidades (100 milhões de dólares), estabelecendo um novo recorde para o estúdio da Universal. Apesar da imagem icónica de Kong, o remake de Peter Jackson não escapou aos tempos difíceis que abrangem os blockbusters. A sua bilheteira em solo americano decepcionou analistas que prognosticavam receitas superiores aos 218 milhões de dólares obtidos. Com um orçamento de 207 milhões, o filme facturou mais uns troquitos no resto do mundo (329 milhões de dólares), totalizando a modesta quantia geral de 547 milhões.

Quão intenso será o impacto do macacão nas vendas de DVD?
Os responsáveis da Universal têm motivos para rejubilar com os resultados desta semana inicial, sendo que para tais resultados muito contribuiu a qualidade dos fenomenais extras oferecidos. Mas os tempos de pirataria não permitem grandes veleidades nas vendas de DVD. A fasquia de 20 milhões de cópias é uma missão utópica para qualquer filme, sendo que em 2004 “Shrek 2” vendeu 18.2 milhões de cópias e em 2005, “The Incredibles” chegou aos 15.6 milhões.

Independentemente da recepção do seu filme, Jackson afirmou que se encontra satisfeito com o produto final e que quando se propõe a imprimir uma ideia no celulóide, pretende edificar tudo à sua imagem, esperando que mais pessoas partilhem a sua sensibilidade. Peter… se me estás a ler (e eu sei que sim), conta com mais uma pessoa que partilha a tua visão de Kong.

11 Comments:

Blogger Mário Lopes said...

E eu sou mais um para ajudar ás estatísticas...pelo menos em Portugal :P!

Abraço

Mário Lopes
http://lordofthemovies.blog-city.com

3:41 da tarde  
Blogger gonn1000 said...

Bem, no meio de tantos blockbusters este até é daqueles que vale mesmo a pena. Por mim, pode continuar a subir...

5:00 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Mário: Pois eu vou aguardar pela edição mega-especial a ser lançada no segundo semestre de 2006.
Abraço!

gonn1000: Enquanto sobe... vou aplaudindo.

7:15 da tarde  
Blogger DEVANEIOS DO CONTRA said...

Vimos convidar o autor e os leitores deste blog a visitarem http://devaneiosdocontra.blogspot.com um espaço do contra sobre alguns aspectos da nossa sociedade que nos irrita como uma pedra no sapato que embora pequena magoa e estraga-nos o momento! E sim, alguns desses aspectos passam também pela 7ª Arte! Obrigado!
Os nossos cumprimentos!

12:30 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Aqui fica o convite.

12:52 da tarde  
Blogger H. said...

LoL, se calhar está mesmo (a ler) ;)

O fenómeno da venda de dvds crescer enquanto as receitas de bilheira descem é algo que me preocupa - bem mais que a pirataria - sobre cenários futuros...
O dvd é fantástico e os extras uma mais valia mas não compreendo quem não vai ao cinema ver um filme como King Kong p/ o ver em casa... Perde boa parte do espectáculo de um filme desta envergadura...

De qq forma, ainda bem que se está a sair bem nas vendas. O Peter Jackson merece! ;)

1:38 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Infelizmente, a maioria da audiência encara esta forma de Arte de forma bastante leviana, menosprezando o poder e misticismo da Sala Escura.

Quanto aos resultados de Jackson... digamos que é uma bofetada de luva branca nas recentes declarações de George Lucas. Declarações essas, bem suportadas pelas reais convicções de um brilhante estudioso do meio artístico, mas olvidando claras excepções à regra.

7:23 da tarde  
Blogger Mário Lopes said...

"Edição mega-especial"...WTF is that :o? 4 discos?

Abraço!

Mário Lopes
http://lordofthemovies.blog-city.com

6:33 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Até podiam ser 1002 discos... ;D

Abraço!

9:49 da manhã  
Blogger brain-mixer said...

Bem... Quanto ao semi-fracasso doméstico nos cinemas, hoje em dia é relativo: Lembrem-se do caso de "Kingdom of Heaven" que rendeu pouco mais de 40 milhões nos States e depois foi um fenómeno em DVD... É que por vezes há coisas que o lar sabe fazer melhor ;)

11:06 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Sem dúvida.
Os tempos modernos carregam uma nova realidade: muitas obras facturam mais no seu formato DVD do que numa sala de Cinema.

1:09 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Site Meter