sexta-feira, julho 15, 2005

"Constantine", de Francis Lawrence

Class.:



Como arremessar um potencial Film-Noir para a sarjeta escura do Inferno.

Baseado na banda desenhada “Hellblazer” da DC Comics/Vertigo, “Constantine” é a história de um exorcista/detective sobrenatural John Constantine (Keanu Reeves), que literalmente atravessou o Inferno. Quando Constantine forma parelha com Angela Dodson (Rachel Weiz) para resolver o misterioso suicídio da sua irmã, a sua investigação intercala-os num mundo de anjos e demónios.

Está em voga a adaptação de “comics” para a grande tela. E exceptuando os dois “Batman” de Tim Burton e os dois “Spiderman” de Sam Raimi (quanto a mim estes dois realizadores elevaram as respectivas adaptações a um nobre patamar cinematográfico), as adaptações de BD’s americanas têm difamado e enxovalhado os heróis dos quadradinhos. “Constantine” é baseado numa BD na qual John Constantine é um loiro inglês (inspirado em Sting) que fuma imenso. Na transposição para cinema Constantine tem cabelo preto, é americano, usa um fatinho à “Reservoir Dogs” e até masca pastilha de nicotina (sacrilégio!! Clamam alguns). Apenas um em mil poderá protestar acerca destas alterações que visam claramente o lucro e pessoalmente fico agradecido por não ter escutado Reeves com pronúncia inglesa (como em “Dracula” de Coppola), mas o que dirão os fãs da BD?

Francis Lawrence é um famoso realizador de videoclips MTV, tendo já trabalhado com Timberlake, Spears, Janet Jackson. A visão do inferno em CGI é um momento engraçado no qual o realizador projecta o seu background estético. O realizador teve enorme mérito em reconhecer os limites de Keanu Reeves e colocá-lo no maior número de confrontos físicos com demónios e oferecendo-lhe o menor rol de diálogos possíveis. Mas pessoalmente, o melhor momento do filme tem a ver com a cena que envolve a entrada de Constantine no clube de “Half-Breeds” de Papa Midnite (Djimon Hounsou) ao som de “Passive” dos A Perfect Circle (preciso apelar às minhas predilecções musicais para encontrar aspectos relevantes no filme). “Constantine” contém na sua essência alguns excelentes elementos “dark”, no entanto o filme é uma obnóxia narrativa, repleta de incongruências, uma mistura abrupta de ideias vagas e despropositadas.

Todos os bons e memoráveis filmes de fantasia oferecem um portal para o fantástico à audiência. Em “The Wizard Of Oz”, “Star Wars”, “The Matrix” e “Lord Of The Rings” (por exemplo) somos parte integrante numa mítica jornada pelo desconhecido, acompanhando inocentes personagens desbravando mundos novos. “Constantine” é o exemplo de filme que apesar de poder ser considerado entretenimento, é no meu entender entretenimento medíocre. John Constantine ingressa e regressa do Inferno e o problema é que a audiência fica cá fora, entregue a si própria sem saborear as potencialidades cinematográficas.

23 Comments:

Blogger Pedro Quintino said...

Para além de ter criado o videoclip de 'Never Be The Same Again' de Melanie C com a Left-Eye (que é um dos meus vídeos preferidos de Lawrence), revelou um óptimo trabalho em 'Constantine', que gostei bastante. Apesar de não ser uma obra prima, são, como apontas, duas boas horas de entretenimento.

12:51 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

:\ Torço mt o nariz a este filme...

1:11 da tarde  
Blogger André Batista said...

Não gostaste mesmo nada do filme ha?! Pois bem, vai haver uma sequela, portanto tens que te preparar LOL! Boa análise!!!

1:20 da tarde  
Anonymous Vera said...

Eu também não gostei muito do filme. É daqueles que vi mas não vou rever. Não conheço a BD que lhe deu origem por isso nada sei sobre a relação entre as duas. Quanto ao filme, não me apeteceu sair a meio mas também não me apetece revê-lo.

1:30 da tarde  
Blogger Pedro Quintino said...

Gosto do facto de fazeres referência mesmo aqueles filmes ou realizadores que cujo trabalho não aprecias. Very ecletic, yes sir.

1:43 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

André: Já soube acerca da sequela e o meu comentário é... cruzes credo! :|

Vera: Nem pensar em rever, mas também nunca pensei em abandoná-lo a meio.

Pedro: Sim, gosto de falar um pouco de tudo. :)

2:51 da tarde  
Blogger David Santos said...

mau...mto mau

6:15 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

De acordo.

6:21 da tarde  
Blogger Knoxville said...

Mas ó Matateh, mas tá na moda comparar tudo a Reservoir Dogs? Já não é o primeiro blog! Até o fato foste buscar :P

E de resto, o filme é muito fraco, péssimo, mas eu gostei das comic reliefs. Mas muito pouco mesmo!

Um abraço granda matateh!

6:39 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Longe de mim cair no mainstream, apenas enunciei a predilecção do realizador Lawrence pelo filme de Tarantino e a sua homenagem. Não é uma comparação... é um facto. :P

Abraço Knox!

7:32 da tarde  
Blogger membio said...

Gostei das cenas iniciais com o monstro no espelho, cheguei a pensar até que estava perante qualquer coisa de jeito, insfelizmente o realizador não soube segurar a carruagem e as ideias que andavam por ali foram-se perdendo por entre o desfile visual, que pode dizer-se que até está bastante competente.

8:00 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Sem dúvida. Os efeitos especiais foram bem concebidos.

8:31 da tarde  
Anonymous S0LO said...

Sò espero que não façam o mesmo ao "noir" Max Payne!

Cumps. cinéfilos

11:29 da tarde  
Blogger Gustavo H.R. said...

Primeira visita aqui (eu acho). CONSTANTINE, de fato, é uma miscelânea de efeitos digitais medianos embalados num pano de fundo maior que o próprio filme. A destacar, apenas a boa atuação de Tilda Swinton como Gabriel.

3:34 da manhã  
Blogger Francisco Mendes said...

s0lo: Adorei o jogo "Max Payne". Quanto ao filme, não espero grande coisa, mas...

Gustavo: Tilda Swinton esteve razoável. Benvindo Gustavo.

8:14 da manhã  
Blogger Knoxville said...

Já tens ai umas estrelitas todas catitas :P

10:08 da manhã  
Blogger Francisco Mendes said...

hehe... e talvez não sejam definitivas...

10:15 da manhã  
Blogger David Santos said...

não se esqueçam de ir ver a sequela!! lol

PS: O trailer é melhor que o filme...tem lá tudo, os efeitos especiais ainda parecem melhor e tem mais ritmo!

7:31 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

LOL

7:50 da tarde  
Blogger brain-mixer said...

A cena que mais gostei foi o diabo a caminhar pela estrada rural e matar tudo pelo seu caminho: "Exorcist" type! Todo o resto é vómito verde...

12:41 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

É um filme fraquíssimo...

1:01 da tarde  
Blogger My@Ozalots said...

Sinto muito pela Rachel Weisz! Adoro ela e acho que foi um desperdício do seu talento e tempo!
Tá claro que não gostei nada do filme, não é? :D

2:58 da manhã  
Blogger Francisco Mendes said...

Escolhas...

10:04 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

Site Meter