quarta-feira, janeiro 17, 2007

Redacted



Este é o título provisório para o novo projecto de Brian De Palma. O filme será baseado na história verídica da violação e assassinato de uma menina iraquiana de 14 anos, por parte de quatro soldados norte-americanos. Militares esses, que também terão assassinado três familiares da adolescente. Para edificar a narrativa, De Palma irá recorrer a material de arquivo, noticiários, documentários, cobertura de julgamentos, vídeos do YouTube e excertos do videoblog de um dos acusados. O início da produção está agendado para Abril.

12 Comments:

Blogger RPM said...

outra vez no mesmo assunto....não é igual ao Black Dalila?

como estás amigo Francisco!

Um abraço grande de amizade

RPM

9:11 da manhã  
Blogger Francisco Mendes said...

Serei o único a julgar que esta era matéria bem mais adequada para o bom, velho Oliver Stone?

Por aqui está tudo bem!
Abraço Rui!

9:17 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Esta mistura de formatos tão diferentes parece-me excelente! Anxioso por ver isto.
Abraço, Francisco!

10:05 da manhã  
Blogger _Loot_ said...

o Black Dhalia não vi mas o tema fez-me lembrar o Casualties of War. Também baseado em uma história vedidica se não estou em erro.

10:44 da manhã  
Blogger pintoribeiro said...

Interessante...bom dia e um abraço,

11:10 da manhã  
Blogger Francisco Mendes said...

Nuno: Aguardemos então.
Abraço!

looT: Sem dúvida José. Com o Vietnam como pano de fundo, mas as premissas intersectam-se.

pintoribeiro: Bom dia.
Abraço!

1:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Antes de ler estes comentários, o que me veio à cabeça foi precisamente isso também: Brian de Palma está a substituir Oliver Stone :P

8:19 da tarde  
Blogger H. said...

O material que ele vai utilizar, pela sua variedade, promete uma obra - no mínimo - curiosa. A história de base parece ser suficientemente grave para atrair atenções. E a actualidade da questão tornará o filme, muito provavelmente, um título obrigatório. Esperemos que não desaponte, já que com A Dália Negra senti-me um pouquinho desiludida...

10:09 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Viva Francisco!
desviando-me do tema deste post, venho-te informar que vi finalmente "A History of Violence" (antes tarde que nunca!) e foi das melhores experiências que tive nos ultimos tempos!

Que "jogo" de oposições fabuloso não só na representação do elenco como principalmente no contraste entre os ambientes sobretudo os do inicio com os do final... e que grande final...

Um grande abraço!

3:01 da manhã  
Blogger Francisco Mendes said...

Edgar: Ah pois :P

Helena: Não é propriamente um cineasta para agradar a gregos e troianos... ;)
Aguardemos...

André: Oposição essa, também manifestada nas excelsas cenas de sexo. Um dos melhores do ano. O final... um dos melhores da década.

Abraço!

9:37 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

francisco e nas duas cenas do hospital. Na primeira toda a familia o vai buscar de forma calorosa... na segunda chega a casa de táxi e tem uma recepção fria e distante!

Exemplos destes são aprofundados ao máximo ao longo de todo o filme! Brutal!

Um abraço!

1:01 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Até o seu poster é brutal.

Abraço!

1:16 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Site Meter