segunda-feira, outubro 16, 2006

Martin "Low Budget" Scorsese



Apesar do sucesso que “The Departed” tem registado, Martin Scorsese pretende efectuar um interregno relativamente às grandes produções. Detentor, até ao momento, da única ovação do Festival de Roma (com “The Departed”), o cineasta pretende refugiar-se da azáfama hollywoodesca e concentrar-se criativamente no seu novo projecto: a adaptação do maravilhoso romance de Shusaku Endo, intitulado “Silence”. Este é o filme de baixo orçamento que já deambula pela sua mente há 15 anos e narra a história de dois missionários portugueses que viajam para o Japão imperial, acabando por testemunhar a perseguição de japoneses cristãos.

16 Comments:

Blogger Pedro_Ginja said...

Só para reforçar ainda mais o interesse do cinema português pela nossa brilhante história.

Tem de ser um americano de origem italiana a falar de um período histórico português.
Eu olho para a história portuguesa e vejo tantos filmes possíveis de serem feitos que dá pena.

Enfim, ao menos que alguém os faça.
E se for Scorsese ainda melhor.

10:43 da manhã  
Blogger Francisco Mendes said...

Este romance não se foca num período histórico português. É uma excelente introspecção de Endo, questionando o silêncio de Deus perante a agonia dos seus crentes, desenvolvendo a percepção distinta da fé japonesa.

Scorsese não poderia ter escolhido melhor. Existe muita camada neste romance a ser escavada pela sua portentosa força criativa.

Abraço!

11:17 da manhã  
Blogger RPM said...

olá camarada amigo!

neste teu texto sobre o sr. Scorcese, referiste o Festival de Roma!

Não te referiste ainda da sua BOA ou menos BOA entrada no circuito dos festivais....já que é o primeiro festival! Será um festival do sul contra o festival do norte, em Veneza!

até parece o complemento italiano ao discurso dos sulistas, mouriscos, etc e tal de um tal PSD, que agora é presidente de câmara...lembras-te?

um abraço de amizade!

RPM

1:33 da tarde  
Blogger brain-mixer said...

Desde que não ponham os portugueses a falar em brasileiro (ou pior ainda, em espanhol, como de costume!) e o nosso pobre país no Norte de África, ao lado da Tunísia...

2:09 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Rui: O teu apontamento aflora uma aresta sensível, mas (pessoalmente) prefiro manter uma distância considerável destas picardias do meio.

A aura de Veneza é mística.

Abraço e bom início de semana, caro amigo.

Edgar: Como Spielberg em "Amistad", colocando portugueses expelindo o dialecto dos vizinhos espanhóis.

2:35 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Não me parece é que este seja o tipo de filme adequado a um baixo orçamento. Filmes que retratam periodos passados históricos, normalmente requerem um grande esforço financeiro.

Um abraço Francisco.

2:44 da tarde  
Blogger Miguel Galrinho said...

Certamente que não serão actores portugueses a interpretar os missionários jesuítas.

2:56 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Knoxville: Este em particular, não requer esforços colossais como os últimos projectos do mestre.

Abraço!

Miguel Galrinho: Também não creio.

3:22 da tarde  
Blogger Ne-To said...

Parece que Javier Barden estará certo como um dos actores :D

es muy buena la viage para japon.

;)

Portenhol `vista.

Cumps

12:38 da manhã  
Blogger Francisco Mendes said...

Medo... muito medo... ou não... ;)

Cumprimentos.

9:51 da manhã  
Blogger _Loot_ said...

O javier bardem é grande actor e de certeza que se lhe pedirem para interpretar um portguês a falar espanhol ele avisa.

6:06 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Assim espero.

10:56 da manhã  
Blogger Museu do Cinema said...

Gostei desse blog! Muito bem feito e bem escrito, agora te pergunto uma coisa Francisco, vc leu esse romance?

1:04 da manhã  
Blogger Francisco Mendes said...

Sim, li.
Obrigado pela visita. Bem-vindo.

8:58 da manhã  
Blogger Museu do Cinema said...

Então me permita lhe pedir para fazer uma resenha.

4:21 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

“Silence” é um livro de Shusaku Endo, um autor católico que questiona imenso a sua fé ao longo da sua obra literária. Em “Silence” o cenário escolhido por Endo é o período da perseguição cristã em território nipónico, no qual vários padres japoneses e europeus foram torturados. A narrativa segue a história de um missionário português que viaja para este Japão imperial, acabando por testemunhar e sofrer a perseguição impiedosa das autoridades japonesas. De um ponto de vista literário, o trabalho de Endo é impressionante e as suas metáforas são tão poderosamente imagéticas que sobrevivem ao processo tradutivo. É acima de tudo, uma excelente introspecção de Endo, questionando o silêncio de Deus perante a agonia dos seus crentes, desenvolvendo a percepção distinta da fé japonesa.

5:23 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Site Meter