terça-feira, outubro 10, 2006

A distribuição, segundo Lynch



Com o firme intuito de explorar novos métodos de distribuição, David Lynch assegurou os direitos para a distribuição do seu recente “INLAND EMPIRE” em solo americano e canadiano. Normalmente, a auto-distribuição é um trajecto calcorreado por cineastas menos afamados, mas as recentes experiências audiovisuais de Lynch serviram de propulsor para amplas explorações do meio.
Quanto à estreia em solo português… já devem saber a resposta: não existem datas.

7 Comments:

Blogger RPM said...

ainda bem que não há datas fixadas....

para os MAIS cinéfilos, como o autor desta página, a ansiedade será menor e não terá decepções como o caso recente do BRICK....

não é, melhor assim, meu caro Francisco!!!

um abraço grande de amizade. A água às 7 estava óptima...

fica bem, meu amigo

RPM

10:00 da manhã  
Blogger P.R said...

Oh meu caro amigo quer me parecer que a travessia no deserto ainda será longa. Olha o exemplo de Manderlay de Lars von Trier... Há quase dois anos que tem sido constantemente adiado.

Enfim, infelizmente em vez de excepções já começa a ser uma rotina ver filmes desta qualidade adiados.

Um abraço !!

10:33 da manhã  
Blogger Francisco Mendes said...

Rui: Não deixas de ter a tua razão...

Por aqui a água também está boa... num âmbito pluvioso...

Abraço amigo!

Pedro: Utilizando uma expressão religiosa: é o pão nosso de cada dia...

Abraço!

12:29 da tarde  
Blogger Thanatos said...

Claro que nada substitui a experiência - diria quase sagração - de ver um filme num cinema (excepto quando esse mesmo cinema está repleto de grunhos ao telemóvel) - mas para casos em que os filmes tardam em estrear ou nem sequer estreiam penso que a alternativa globalizada do DVD ou do HD-DVD, quando suportados por um sistema de projecção de boa qualidade apoiado num bom sistema sonoro, são um paliativo para estes males distributivos.

Espero sinceramente que não venha a ser o caso deste Inland Empire.

7:51 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Lá diz o povão: para grandes males, grandes remédios.

Se bem que neste caso, seja um tanto ou quanto complicado arranjar um medicamento para um mal com inúmeras metástases.

10:25 da tarde  
Blogger brain-mixer said...

E que grande foto essa aí ;)
"O toque de Midas" LOL

2:52 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Um senhor!

4:17 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Site Meter