quinta-feira, maio 24, 2007

Стачка



A Greve” foi a primeira longa-metragem de Sergei Eisenstein, nome incontornável quando aprendemos algo sobre a teoria e a estética do Cinema, nome marcante nos primeiros 50 anos da História do Cinema, nome relacionado com o movimento de arte de vanguarda russa, com a impulsão de novos ritmos fílmicos e com a consolidação do Cinema como meio de expressão artística. “A Greve” demonstra como a Arte e a Política podem andar juntas, expondo uma ideia desenvolvida com o auxílio de processos formais de grande inovação: a Montagem como metáfora. Na mente fica impregnado o final que emana a célebre Montagem Intelectual de Eisenstein, no qual o massacre dos grevistas é entrecortado por imagens de gado a ser abatido. Eisenstein é um cineasta de visão obrigatória para todos os cinéfilos, portentoso inovador da técnica de Montagem, essa interacção mística que une duas peças de filme isoladas.


P.S.: Igualmente imperdível é “O Couraçado Potemkine”, obra fundamental da História do Cinema, na minha humilde opinião.

6 Comments:

Blogger S.B. said...

Cinema russo e montage russa continuo a preferir "O Homem da Câmara de Filmar" de Vertov... que tratado de cinema! :)

7:12 da tarde  
Blogger H. said...

O Eisenstein é um mestre! Potemkin é obra-prima! A Greve é um dos muito próximos a ver, tal como alguns outros dele que é urgente eu pôr a vista em cima.

8:07 da tarde  
Blogger Paulo said...

"A Greve", tal como o "Couraçado...", é um filme imperdível e um assombro de montagem, de facto. Áté parece que se percebem os filmes a ser construídos na sala de montagem, à medida que os planos se vão unindo, resultando dessa união multiplos significados. Daqueles clássicos que merecem todo o destaque que têm!

10:09 da tarde  
Blogger refugee said...

Francisco descupla a correcção mas é o Couraçado de Potemkin, ou Potemkin Battleship.
Sergei Eisenstein é um grande realizador, impulsionador da arte e política, sobretudo da arte soviética. é magnânimo

11:32 da tarde  
Blogger Betty Coltrane said...

Não é só a tua opinião! A cena da tomada de Odessa é das mais famosas e impressionantes da história do cinema! Não vi este, vou procurar! =)

Boa sugestão!

12:54 da manhã  
Blogger Francisco Mendes said...

S.B.: A obra que mencionas de Vertov é sem dúvida marcante, mas Eisenstein... é Eisenstein :)

Helena: Ainda há dias revi "Outubro". Sinto sempre algumas vibrações contraditórias neste filme, mas com o cunho de Eisenstein bem presente nos métodos experimentais e sofisticados da Montagem de Atracções.

Paulo: Merecem ser descobertos, vistos, revistos e estudados.

Refugee: Mero erro de grafismo. Muito obrigado pela atenção!

Abraço!

Betty Coltrane: Que cena!!
Daquelas que deveriam ser encaixilhadas na memória de todos os cinéfilos.

9:02 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

Site Meter