segunda-feira, abril 30, 2007

I Don't Want To Sleep Alone



I Don't Want To Sleep Alone” é um dos filmes mais pessoais de Tsai Ming-liang. Confidencialmente particular e singularmente terno. Até suas transgressões surrealmente sexuais, elevadas ao expoente da extravagância no anterior “The Wayward Cloud”, robustecem a premência da complexidade pessoal dos temas que aborda. Se em "The Wayward Cloud" a falta de água (esse seu elemento obsessivo) quase enlouquecia as personagens, aqui é o excesso que as amotina, asfixiando-as em fortes neblinas… acasalando-as em torno de uma piscina etérea. Tudo conflui para cobiçados momentos de conexão. Visualmente poético, com os toques familiares de minimalismo absurdo, esta é uma meditação no verdadeiro significado de Paixão e Solidão. Compondo temas universais com imagens proverbiais, o autor drena sentimentos de forma intensiva. Os temas recorrentes de moléstia e doença não só reforçam a certeza de que existem particularidades que escapam ao nosso controlo físico, como também reflectem a demanda terapêutica de Tsai Ming-liang. O cineasta malaio regressa ao seu país, mas tal como os trabalhadores forasteiros, deambula longe de sua Casa (ignorado e censurado na sua terra Natal). Ao longo do processo fílmico, ele busca o verdadeiro significado de Liberdade, estabelecendo vínculos interpessoais com personagens solitárias, incapazes de se comunicarem ou demonstrarem seus sentimentos e necessidade de afecto. Quando Rawang cuida de Hsiao-kang tudo se torna indefinido em seu redor, pois apenas aquele momento de ternura difunde probidade. Ao longo de esquemas de formalidade intrincada e rimada de obra para obra, Tsai cura-se a si próprio.

4 Comments:

Anonymous tf10 said...

Parece ser mais um filme na mesma linha a que nos habituou e espero que esteja ao nivel dos meus favoritos dele! Muita sorte quem é de Lisboa e o pode ver no Indie...............E em Maio ainda vão ter direito a uma retrospectiva na culturgest do Hsiao-Hsien e a estreia de um dos meus favoritos de 2005, Three Times! Uma pena ser tudo na capital....haveria muita coisa a rever na tela.......enfim....

abraço!

4:20 da tarde  
Blogger refugee said...

Bom blog, bastante preenchido e com muita coisa para ver. Até à próxima

10:42 da tarde  
Blogger H. said...

É difícil escrever este filme, mas gostei da forma como o conseguiste fazer... Viste-o pelo Indie?

3:00 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

tf10: "Three Times"... esse filme imenso! A oportunidade concedida aos olissiponenses é indeclinável. Hsiao-hsien é obrigatório.

Refugee: Imensamente grato pelas palavras. Bem-vindo!

Helena: Esse evento concede algumas oportunidades únicas de visionamento. Pena que alguns de nós, tenham de gastar bom dinheiro e percorrer um bom número de quilómetros para nutrir esta avassaladora paixão cinéfila.

9:23 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

Site Meter