quarta-feira, outubro 05, 2005

"Serenity", de Joss Whedon

Class:

“We've done the impossible, and that makes us mighty.” (Capt. Malcolm Reynolds)

“Serenity” é baseado na série de TV que teve um encerramento abrupto, “Firefly”. O realizador/argumentista Joss Whedon é o autor da respectiva série, bem como de “Buffy, the Vampire Slayer” e “Angel”. “Serenity” é uma bela aventura de ficção científica com um inesperado desenvolvimento de personagens e doses consideráveis de comentário social mordaz. Divertido, acelerado, exibindo criatividade e estilo, “Serenity” suplanta expectativas. É uma das agradáveis surpresas do ano.

“Serenity” mostra de certa forma o que aconteceria a “Star Wars” se fosse focado em Han Solo. A tripulação de Serenity aceita qualquer tarefa que seja remunerada, mesmo que não seja legal. Malcolm Reynolds (Nathan Fillion), o Capitão, encontrava-se na fracção dos vencidos da Batalha Galáctica e tudo o que lhe resta é a sua nave Serenity e a leal tripulação. Quando Malcolm acolhe dois novos passageiros, um jovem doutor, Simon Tam (Sean Maher) e a sua instável irmã River (Summer Glau), recebe mais do que aquilo que pretendia. Ambos são fugitivos da Aliança, a força que controla a Galáxia. River apreendeu algo que não deveria saber e a Aliança fará tudo para eliminar a transmissão de determinada informação.

Apesar de decorrer 500 anos no futuro, existe uma distinta sensibilidade de western. “Serenity” é um western sci-fi, graciosamente concebido com um elenco em perfeita sintonia. Joss Whedon revela uma genialidade inquestionável. O argumento é inteligente e o seu sentido de humor é igualmente apurado. Ele sabe quando e como despoletar gargalhadas, um dom que George Lucas foi perdendo ao longo da carreira. Whedon também tomou consciência que para reabastecer a sua nave não necessita de espalhafatosos efeitos especiais, mas de um enorme coração.

Joss Whedon tornou “Serenity” coeso e coerente. Ele soube aproveitar ao máximo o orçamento manifestando algumas cenas sumptuosas e injectando diálogos brilhantes para ofuscar certos efeitos especiais menos polidos. Foi criado um universo envolvente, povoado por vilões pavorosos e heróis que geram uma empatia instantânea com o público. As sequências de acção apresentam combates corpo a corpo, nostálgicos tiroteios e uns últimos 40 minutos fenomenais.

As reminiscências pop de Whedon adelgaçam um pouco o impacto do filme, a composição musical de David Newman é eficaz, mas fica longe de arrebatar e em três décadas de proliferação de filmes de ficção científica, a amarga verdade é que qualquer nova odisseia espacial reverbera com ecos. “Star Wars” e “Star Trek” foram influências indiscutíveis e a tripulação de rebeldes evoca a tripulação da Millennium Falcon de “Star Wars”, salientando os fantasmas do filme.

Mas “Serenity” possui coração, alma, divertimento, fervor, envolvência, carácter, violência, acção trepidante, personagens que não são assexuadas, humanismo e sólidas fundações de storytelling Sci-Fi. É como visionar “The Empire Strikes Back” (num grau inferior) sem nunca ter visto “A New Hope”. Ocasionalmente, a audiência aparenta andar meio perdida, mas o filme revela excelência. É uma maravilhosa aventura de ficção científica que funciona como digna homenagem aos filmes do género.

Trata-se de uma película que opera categoricamente como veículo de entretenimento perspicaz, resultando numa experiência que deverá ser assimilada numa Sala de Cinema. “Serenity” apodera-se esplendorosamente da maioria dos mecanismos de entretenimento que apenas uma Sala de Cinema pode proporcionar. Que mais se poderia pedir a uma obra que recebe o epíteto de Filme Pipoca e o transcende? Subam a bordo de “Serenity” e desfrutem, pois serão muito bem acolhidos… a não ser que sejam Reavers.

24 Comments:

Anonymous S0LO said...

Como é que já viste o filme :o? Só estreia na próxima semana, mas como está bem cotado no IMDB devo ir ver :).

Cumps. cinéfilos

12:30 da tarde  
Anonymous André Batista said...

antes deste filme, ainda tenho que ver um outro : chama-se 'alice', e parece ser um dos melhores filmes da nova temporada. e é português. see ya ;)

12:46 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

s0lo: Fui ontém à Ante-Estreia e visionei uma enome surpresa.
Cumprimentos.

André: Também ambiciono ver "Alice", mas será que estreia em alguma sala nortenha? A confirmar...

1:41 da tarde  
Blogger Coutinho77 said...

Nunca vi essa série. Pela tua critica és capaz de me ter convencido a ir ver isto... Não é necessário ter visto nenhum episódio antes?
Abraço!

3:12 da tarde  
Blogger Miguel Baptista said...

Não sei se o filme me convence. Acho que não vou arriscar... ou então vou. Se cá passar pelo cine-teatro da terra, vejo com todo o gosto, mas não me desloco pelo filme.
Um abraço!

6:22 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Coutinho: Já disse isto noutro lugar e repito: Apenas vi um episódio da série e não me senti cativado. O filme é uma carta de amor aos fãs e um convite aos outsiders (como eu). Fui sem expectativas e quase fui completamente arrebatado... pouco faltou!
Abraço!

migueL: São opções... agora que foi uma das maiores supresas do ano, para mim foi! Storytelling bem inteligente e muito acima da média, no género Sci-Fi. Muito bom!
Abraço!

7:53 da tarde  
Anonymous JTC said...

Já tinha visto o poster do filme algures e o meu primeiro pensamento foi " mais uma m3rda de filme! E este tem mesmo aspecto disso!" Agora vi o mesmo poster no teu blog e com uma crítica destas... tenho MESMO de ir ver o filme especialmente porque gosto de Sci-fi :)
Obrigado.

9:58 da manhã  
Blogger Francisco Mendes said...

:) Tive o mesmo pensamento inicial, mas a surpresa foi total. Engenhoso, inteligente e deveras divertido. Uma refrescante surpresa.

10:49 da manhã  
Blogger H. said...

imperdível estreia da semana, a par de Alice. para ver mto mto brevemente, ainda mais dps de uma critica tão positiva ;º)

5:52 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Bem verdade!
Quanto ao "Alice", adorava vê-lo, mas o sítio no qual ele está em exibição no Porto é algo complicado para mim... :\

8:11 da tarde  
Blogger brain-mixer said...

Pelo trailer (que já o tinha visto em Junho) achei-o um completo disparate e a conter enormes clichés dos filmes de acção/F-C. Se gostaste, ou eu estou errado e eles fizeram um péssimo trabalho de promoção, ou então estou à deriva...

Pelo instinto, está chumbado! Direct-to-DVD lá para casa, oh yeah!

11:11 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Correcção: não gostei... adorei! :)
É uma obra muito valiosa, uma relíquia surpreendente... uma fresca e maravilhosa homenagem ao género.

11:36 da tarde  
Blogger gonn1000 said...

Não gosto da série "Buffy", mas Whedon tem feito um bom trabalho como argumentista dos comics dos X-Men... Talvez veja.

11:54 da manhã  
Blogger Francisco Mendes said...

Pois eu detesto as séries. Todavia Whedon possui muita genialidade, derramada de forma cabal em "Serenity".

1:11 da tarde  
Blogger brain-mixer said...

Ah e parece que se espalhou no box office americano... Ficou-se pelos 20 milhões e está a diminuir de velocidade a cada dia que passa.

2:50 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

É verdade, mas actualmente vai em segundo no Box-Office.

Contudo ligo pouco a números. O Cinema é uma Arte, não é uma ciência matemática... apesar de ser assim encarado pelas distribuidoras. Aprecio uma obra conforme os sentimentos que desperta em mim.

3:26 da tarde  
Blogger brain-mixer said...

Sim... Mas isso é um bom método de não se procriarem com sequelas e remakes, eh eh eh!!

4:55 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Se a procriação gerasse rebentos com a qualidade da mamã, então... muito benvindos!! :P

5:02 da tarde  
Blogger H. said...

fui ver ontem... tem mts semelhanças visuais (e ñ só) com «Star Wars», mas apresentadas com um cunho próprio. esperava algo um pco diferente do q aquilo q encontrei (ñ conhecia a série 'Firefly') mas ñ me desiludiu. Entertenimento de qualidade! =)

6:35 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Também desconhecia a série e é entretenimento de muita qualidade! :)

8:48 da tarde  
Anonymous Pedro Ginja said...

Pois é.

Eu como fã da série, só podia ser fã deste filme...

Grande filme e corrigindo quem disse que fez 20 milhões, infelizmente não éverdade.
Fez apenas 10.1 milhões de dólares e por isso a sequela não deve acontecer.
É pena. Porque é realmente um bom divertimento.

Não me divertia tanto num filme desde os tempos do Indiana Jones e isso é dizer muito.

11:31 da manhã  
Blogger Francisco Mendes said...

Pois eu não fui cativado pela série... no entanto o filme é muito bom!

1:02 da tarde  
Blogger brain-mixer said...

Quando disse 20 milhões devia ter explicado mais correctamente: as PREVISÕES indicam acabar nos 20$, por enquanto, ainda está em exibição comercial.

8:24 da tarde  
Blogger Francisco Mendes said...

Correcção feita. :)

10:16 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Site Meter